Debian 9.0 “Stretch”

Debian 9 Stretch Banner.png

 

Está já disponível a versão 9 codename "Stretch" de uma das principais e mais antigas distribuições Linux, o Debian (desde 1993), depois de um longo período de desenvolvimento de mais de dois anos está pronta a versão stable que terá um período de 5 anos de suporte e será dedicada ao seu fundador Ian Murdock (1973-2015).

 

Com esta nova versão o Debian actualiza os principais programas e mantém-se como uma das mais estáveis distribuições Linux da actualidade, das muitas novidades e actualizações destaque para o abandono do gestor de base de dados MySQL (actualmente gerida pela Oracle depois da compra da Sun Microsystems em 2010) pela MariaDB um fork open-source da primeira em virtude da compra desta pela Oracle.

 

Também os dois principais programas da Mozilla voltam ao Debian, o web bowser Firefox e gestor de e-mails Thunderbird, em vez das versões modificadas Iceweasel e Icedove, o GnuPG também foi actualizado para a mais recente versão garantindo assim mais segurança e rapidez na sua utilização.

 

Em termos de ambiente gráfico o "Stretch" vem com o GNOME 3.22 (estando também disponível o KDE e Xfce) e no seu core o kernel Linux 4.9 com o init systemd 232, é uma distribuição altamente recomendável e que segue o lema de sistema operativo universal, está disponível para dez arquitecturas e pode ser utilizado em múltiplos ambientes, desde o desktop pessoal a servidores.

 

Debian 9 "Stretch" released ]

Ubuntu 16.04 LTS “Xenial Xerus”

Ubuntu Logo.png

 

Está já disponível a nova versão do sistema operativo Ubuntu, 16.04 com o codename "Xenial Xerus", uma versão LTS (Long Term Support) que como tal receberá suporte e actualizações durante os próximos cinco anos.

 

Sendo uma edição LTS a versão 16.10 não vem com muitas novidades focando-se mais na optimização e performance do sistema com pequenas optimizações nas interfaces e em alguns programas.

 

Com esta nova versão o Unity ganha algumas novas opções e está melhor integrado no sistema, é possível agora colocar a barra do Unity e o Dash na horizontal em vez do habitual lado esquerdo (recorrendo ao dconf por exemplo) e as janelas abertas de unidades de armazenamento ou a Trash por exemplo são identificadas no próprio ícone e não genericamente no Files como acontecia até agora.

 

As scrollbars foram também melhoradas tornando a sua utilização mais fácil e com menos possibilidade de falhas na deslocação vertical, na gestão do software instalado está o GNOME Software embora designado por Ubuntu Software, rápido e de uma forma simples permite verificar todos os programas instalados e procurar novos recorrendo à pesquisa livre ou por categorias, é possível também ver os updates disponíveis.

 

Todas as novidades e informações podem ser consultadas nas release notes do Xenial Xerus, se o Unity não for de agrado há sempre outras alternativas, como o Ubuntu MATE (MATE), Ubuntu GNOME (GNOME), Kubuntu (KDE), Xubuntu (Xfce) entre muitas outras que estão disponíveis prontas a utulizar.

 

Como habitual foi já revelado o codename da próxima versão, a 16.10: "Yakkety Yak" que chegará dentro de seis meses, em Outubro.

 

[ Canonical unveils 6th LTS release of Ubuntu with 16.04 ]

Fedora Project apresenta o novo Fedora 21

Fedora_Infinity.png

 

A equipa do Fedora Project apresentou hoje a mais recente versão do seu sistema operativo, o Fedora 21, aproximadamente um ano depois de ser disponibilizado a versão 20 chega agora a versão 21, a única em 2014 e que ao contrário das restantes não recebeu um codename como habitual nas distro Linux.

 

Esta nova versão do Fedora traz além dos habituais updates algumas novidades e anuncia-se para várias plataformas, pronto a enfrentar o futuro nas abrangentes necessidades dos diversos utilizadores, quer seja de um simples utilizador particular, aos programadores e mesmo a empresas que poderão contar com a versatilidade do Fedora para o seu dia-a-dia.

 

Assim o Fedora 21 fica disponível em "três versões" para os vários cenários de utilização: Workstation, Server e Cloud;  a versão Workstation está optimizada para os desktops e laptops e destina-se principalmente a programadores ou simples utilizadores para as suas tarefas diárias, a versão Server destina-se a máquinas com tarefas dedicadas como servidores web ou de bases de dados onde a estabilidade e o controlo são factores críticos e por fim a versão Cloud, uma versão minimalista que pode ser utilizada em ambientes virtualizados como os disponibilizados pela Amazon ou a OpenStack por exemplo.

 

Para a versão Workstation a mais indicada para as utilizações mais comuns as novidades são várias, um dos pontos melhorados foi na gestão e instalação de software que passa a ser uma tarefa mas simples e eficiente, o Terminal uma das principais ferramentas de uma distro Linux foi também optimizado tornando mais fácil a sua utilização.  

 

Outra das grandes novidades é o Wayland que virá substituir o velhinho X utilizado para a interface gráfica com o utilizador e o suporte a ecrãs de alta resolução (HiDPI) entre várias outras optimizações, o melhor mesmo é fazer já o upgrade ou o download do novo Fedora 21 e experimentar as suas capacidades, para quem dispensar o GNOME com gestor pode sempre optar por um dos spins oficiais disponíveis como o KDE, o Xfce ou o LXDE entre outros.

 

Como leitura aconselhável ficam os links para o anúncio oficial da versão 21 e as sempre úteis release notes para ficar a par de todas as capacidades e novidades desta nova versão que marca o início de uma nova era do Fedora.

 

[ It’s Here! Announcing Fedora 21! ]